Twitter e a Anarquia da informação 

Para quem ainda não sabe o que é Twitter, Twitter é uma ferramenta de microblogging (publicação de textos pequenos), que ao contrário de outros sites como Orkut e Cia, permite que você informe frases de no máximo 140 caracteres.

Qual é a graça disso?
O fato não é que é graça, e sim necessidade ou utilidade. Por exemplo, você tem tempo para ficar lendo textos enormes?

NÃO!

Nós estamos na era da informação, diariamente somos bombardeados com uma quantidade ilimitada de informações e precisamos selecionar o que realmente nos é útil para que a gente não perca tempo com o que não quer ler.

Na minha humilde opinião, é aí que mora o sucesso do Twitter, trazer o que a gente precisa, e não o que não precisamos saber como “quem está com uma plantação de gado nova em sua Colheita Feliz…”

E é por isso que hoje o Twitter é o que “está na moda”.

Qualquer um pode criar uma frase com um teor de conteúdo interessante ou desinteressante, positivo ou negativo, falando sobre si mesmo ou sobre outras coisas. No instante em que a frase é criada, alguém pode ler e achar que vale a pena responder ou reenviar (dar RT na mensagem) para os seus seguidores, e estes se acharem interessante, podem fazer o mesmo. Então, em poucos minutos a sua mensagem pode ser lida por um grande número de pessoas através de uma espécie de reação em cadeia.

O que é que acontece neste caso???

Simples…

Você se torna uma fonte de informação e tem a capacidade de ter mais poder do que os outros meios de comunicação!

Acompanho de perto a evolução do Twitter aqui na minha própria cidade (São Bento do Sul), quando comecei a usar o Twitter, acho que o número de “Twitteiros” locais não passava de 100. Hoje se eu quiser, posso ir adicionando um sãobentense por dia.

Fico sabendo de notícias da cidade como acidentes, desvios em ruas da cidade, vagas de emprego, as (faltas de) opções de diversão nos finais de semana, como está o tempo, etc. Isso antes de ouvir no rádio, ou ler no jornal do outro dia. Então, qualquer um hoje em dia pode nos trazer informação sem a necessidade de recebermos informação filtrada por empresas que controlam (por obrigação ou desejo) a mídia na cidade. E isso não é algo que acontece apenas aqui, é algo que ocorre no mundo todo.

Chamo isso de Anarquia Informacional, onde a informação não parte de uma fonte centralizada e pode partir de qualquer ponto, desde alguém mundialmente conhecido, como um @BillGates da vida, ou um mero @patrixsbs.

Agora a pergunta…
O que você tem a dizer sobre o Twitter?

Anúncios